Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

04 janeiro 2013


(...)
Se penso que te deixo
já te quero

Se penso que recuso 
já te anseio

Se penso que te odeio
já te espero

e torno a oferecer-te
o que receio

Se penso que me calo
já te grito

Se penso que me escondo
já me ofereço

Se penso que não sinto
é porque minto

Se pensas que me olhas
já estremeço.

Maria Teresa Horta


[é assim. eu por ti em linhas. cheia de ses e de jás, de  medos e de anseios. ofereço o que receio, quero esconder-me e já me dei. já não me tenho, tens-me tu e não te tenho, perco-me de mim porque te perco, a cada dia mais longe, a cada dia mais perto.]

2 comentários:

Dri disse...

Adorei o poema!
:)

Eva disse...

O poema tem uma primeira parte que nao publiquei, esta foi a que tocou mais porque parece falar por mim, e é muito bonito, sim.