Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

31 dezembro 2013

...e vamos virar o tempo de pernas para o ar. 
O fim de um ano é o começo de outro. 
Um fim será sempre um começo, um não é sempre dizer um sim ao seu contrário. 
Dizem que amanhã temos um ano novo, e que por mudar o ano, as coisas mudam, como se virar o ano, ou uma esquina, nos mudasse a direcção, a vida, o querer, o que somos. Dizem que o ano é novo, é diferente, mas eu vejo tudo igual; a vida não vira porque o ano virou, a vida vira quando tem de virar, e nós temos de virar com ela, só isso. Se não quisermos virar quando ela já mudou, então podem passar os anos, e o tempo que se se quiser, que nada mudará, a não ser termos perdido mais e mais tempo, ou anos, sejam eles novinhos em folha ou gastos prontos a descartar. 
O ano amanhã será tão novo como hoje, se não fizeres do amanhã um dia diferente de hoje. 
Mudar um algarismo não traz nada de novo ou diferente: é só estar a contar, e ou se conta com vontade de chegar a algum lado, alguma meta, algum objectivo, ou andamos só a contar carneirinhos para adormecer... 

...pois...
Bom Dia

30 dezembro 2013

... bom pensamento perto de virar mais um ano...
e para ti, o que é o teu "tigre"?

Boa Noite

28 dezembro 2013


........Uiiiiii........
Boa Noite


"Tens de saber. Tens de me saber. Tens de saber que sou teu e que és minha. Por mais que a vida passe, por mais que cases com outro ou que vivas com outro ou que te entregues a outro. Sou teu e tu és minha. Queiras ou não. És a mulher da minha vida. Literalmente a mulher da minha vida. Tudo o que sei que vivi foi vivido contigo dentro: mesmo dentro. Não ao lado, não comigo: em mim. Dentro de mim. Como um músculo, um osso. Tens de saber. Tens de saber que não adianta fugires. Tens de saber que não há forma de fugir ao que nos somos: ao que nós somos."

Pedro Chagas Freitas, in "Ou é tudo ou não vale nada"

[devias saber. não há forma de fugir ao que é. não há alternativa ao querer. não há maneira de nos apagarmos no outro e voltar ao antes, ao não sermos realmente nós. depois não há forma. devias saber. nós precisamos de nós para ser. tens de saber. mas tens de querer saber.]

Boa Noite

25 dezembro 2013

...uma coisa é certinha, certinha, 2014 vai ser um ano de boas leituras: 
Dostoievski, Marguerite Yourcenar, Stendhal, Alice Munro, Tolstoi, Flaubert, e mais alguns... há uma altura em que já não se lê qualquer coisa, só se lê o que se acha que é bom, o que se quer ler. 
Se calhar como em tudo na vida... mas há coisas que por muito que se queiram, não podemos comprar nem pedir que nos ofereçam... e já não estamos para menos do que queremos. Seria perder tempo... Em leituras 2014 tem tudo para ser um óptimo ano... ao menos isso!!

...dizem que é Natal, que hoje é dia de Natal.
E eu estou aqui na indecisão de voltar para a ronha, na cama ainda quentinha, ou acender a lareira e ficar a ouvir os estalidos da madeira e ver as chamas que chamam por mim. 
A minha preguiça em acender a lareira e a vontade de não me lembrar sozinha e cansada fazem-me pender para a ronha, e mais um passar pelas brasas, de olhos fechados e alma adormecida. 
De olhos fechados, e no meio do sono, esquecemo-nos que também a cama está vazia. 
Que tudo está vazio enquanto outras pessoas se dizem tão azafamadas e num dia feliz, no meio de conversas à lareira e comida todo o dia... Eu não. Sou uma triste, é o que é. 
Uma triste desinfeliz, mas prefiro assumir a verdade das coisas. Estou sozinha, sim, e não estou feliz, não, para quê disfarçar? Para os outros? Mas só se disfarça para aqueles que não nos são próximos, suponho... ou então, se se disfarça para toda a gente estamos tão isolados que já nem próximos temos. Disfarçar para quê, quem me conhece sabe como ando, e quem não me conhece eu quero lá saber o que pensa!!! 
Estou sozinha, na ronha, e só comi umas torradas, conversa aqui nem tenho com quem... cada um tem o que merece, né? Assim seja, que constato, mas não me queixo.

20 dezembro 2013


"Sua vida é a sua vida.
Não deixe que ela seja esmagada na fria submissão.
Esteja atento.
Existem outros caminhos.
E em algum lugar, ainda existe luz.
Pode não ser muita luz, mas ela vence a escuridão.
Esteja atento.
Os deuses vão lhe oferecer oportunidades.
Conheça-as.
Agarre- as.
Você não pode vencer a morte, mas você pode vencer a morte durante a vida, às vezes.
E quanto mais você aprender a fazer isso, mais luz vai existir.
Sua vida é a sua vida.
Conheça-a enquanto ela ainda é sua.
Você é maravilhoso, os deuses esperam para se deliciar em você."

Charles Bukowski

[Nem parece Bukowski. É positivo, mas é dele. Incrivelmente... pelos vistos até os mais cépticos têm momentos bons, momentos de acreditar, de ter esperança. Há coisas boas para toda a gente. É aproveitar, ou desperdiça-se a única vida que se tem e todas as que poderiam fazer sentido com a nossa.]
...Pronto Pai Natal... eu sei que não me portei muito bem este ano...
mas eu prometo que com um destes no sapatinho 
(ou bota - desde que não seja de elástico-, ou debaixo da árvore, ou em cima, ou o que quiseres e onde...) 
eu prometo que ainda me vou portar pior, e depois nunca mais me dás nada, 
riscas-me da lista... ok????
Combinados?
Agradecida!
Fico à espera...


J.L. Pio Abreu, in Quem nos faz como somos.

19 dezembro 2013

Não ando com vontade de escrever. Estou farta. Não de escrever, que sempre gostei e é o meu sistema de purga; estou farta é do que escrevo, do que penso, do que sinto há tanto tempo, sem ter tempo de sequer respirar esse sentimento. Tempo, não, condições. Não me deixam respirar, sinto-me confinada a um espaço exíguo, onde tantas vezes só pareço caber eu e o que sinto, e é pouco, e é talvez por isso que não respire, nem cresça. Falta alguém que sinta comigo e que tenha vontade de crescer comigo. Estou farta. Farta disto, de pensar sempre isto, escrever isto e sentir sempre isto, como se o tempo não passasse. Como se o tempo tivesse parado nesse espaço exíguo onde me encaixo e sobrevivo há anos. E agora lembro-me: hoje tive um sonho estranho. Estava na praia, o dia estava cinzento e frio, de repente o mar foge, recua muito, tanto que quase deixo de ver a beira mar. Percebi que se esperava um maremoto, olhei o horizonte e vi uma espécie de neblina por cima do mar, meio desfocado. Percebi que tinha razão e tinha pouco tempo para me salvar, dei por mim a pensar: salvar-te? E tu queres? E dei por mim a ter a certeza que pelo menos é minha obrigação tentar, comecei a correr, a subir por onde pudesse, apanho um carro velho- muito velho - e arranquei, dei graças a deus por não ter a criança comigo porque não saberia se a conseguiria salvar - e a ela eu tinha de salvar, sempre e de qualquer maneira. A mim, para mim, bastava-me saber que tentei. Acelerei sempre até que cheguei ao ponto mais alto: um farol, antigo pelo aspecto. Tentei abrir a porta pesada e não consegui. Desespero. Acordo. Não sei se me salvei.

17 dezembro 2013


Tudo fora perfeito.
Belo e perfeito!
Talvez por isso,
Esta noite
Não merecesse amanhecer.

Paulo Eduardo Campos

[...e sempre amanhece. e sempre acaba.]

Boa Noite

16 dezembro 2013



"... o "sucumbir" é das melhores e mais tristes palavras que já li de ti.
Fazes-me imaginar um vulcão que se deixa arrefecer pela água do mar.
Que se deixa quase afogar num frio sem prazo...
E tu tens tanto, Eva...
Tens tanto calor... Tens tanto poder dentro de ti...
Fizeste-me querer ir para aí dar-te um abraço agora."


A quem me mandou estas frases - que me fizeram lágrimas guardadas por dentro dos olhos, teimosas em cair como tudo em mim, enquanto um sorriso se me escapava no meio da tristeza que guardo e não mostro -, um beijo grande e um abraço apertado, como se mo tivesses dado, porque o senti. E nesta vida só o que se sente importa, e só importa o que se sente. Ou eu sinto assim.

14 dezembro 2013


... Por muito que às vezes até a mim me custe a acreditar...

.... há dias em que faço esta careta à vida.
Ninguém vê, mas ultimamente tem acontecido muito.
Demais.
Quero mimo, quero que a vida me mime, e ela não me faz a vontade.
Também não me dá razões adultas e plausíveis para me queixar com verdadeira propriedade.. bem sei.
Apetece-me amuar, mas esqueci-me dos totós algures, há anos atrás. às vezes sinto-lhes a falta.
O beicinho ainda faço.
De nada me vale. Não traz, nem chama, os teus beijos.

Boa Noite

13 dezembro 2013


(...)
De ti só quero o eco do teu nome
e um gosto que não sei de mar e mel
De ti só quero o pão da minha fome
mendiga que já sou da tua pele.

Rosa Lobato Faria

[de ti só quero tudo,
mar e rio, tudo.
de ti sou mendiga, mas não te mendigarei nada.]

Boa Noite

11 dezembro 2013



Jose Tolentino Mendonça, 

revista do expresso, 16/11/2013

Esperemos as nossas nuvens passar então, 
e ir aproveitando o girassolar noutros sorrisos, de outros sóis.

Boa Noite


09 dezembro 2013

(...)
Se o amor é para os parvos, sou parvo, sim, sou parvo,
um parvo profundo, obstinado parvo
cujo coração adormeceu diante da lareira do teu corpo,
alimentando-se da maior de todas as parvoíces:
o amor feito de fundas incertezas.

E são tantas!

Joaquim Pessoa, in O POUCO É PARA ONTEM

07 dezembro 2013


O homem que me vier a amar, se vier - desconfio muito que alguém se atreva e consiga esse extraordinário feito - só poderá ser alguém extraordinário, fora de serie talvez, meio louco de certeza. Tem de ver além  da minha transparência, falta de singularidade, da minha normalidade física mediana... Nem bonita nem feia, sem nada que dê nas vistas ou salte à vista. Uma discrição sem pinta nenhuma. Tem de ver o que não se vê, tem de adivinhar o que não quero mostrar. Tem de querer descobrir o que me adivinha para além da superficie dos olhos, tem de saber navegar o olhar.
E ao descobrir as pequenas loucuras veladas pela normalidade dos dias, ser só uma surpresa esperada, como um sorriso guardado há muito tempo na sombra dos dias, esperando o dia em que descobre o sol numa gaveta fechada com um olhar aberto.
 Haverá loucos?

Bom dia!
........
(mas por causa do meu café ninguém fica sem conseguir dormir...)

06 dezembro 2013


Eu quero que ela saiba
que dormir todas as noites
a seu lado e mesmo
as discussões mais banais
eram coisas realmente
esplêndidas e as palavras
difíceis que sempre tive medo
de dizer podem agora ser ditas:
Eu te amo.

Charles Bukowski


Boa Noite

05 dezembro 2013


“Uma relação tem que servir para se sentir 100% à vontade com a outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar. Uma relação tem que servir para ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso. Uma relação tem que servir para, às vezes, estimulá-lo a produzir-se e, quase sempre, estimulá-lo a ser como é, de cara lavada e bonita à sua maneira. Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem muito, mesmo em casa, principalmente em casa. Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro quando o cobertor cair. Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir uma garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.”

Drazio Varella

[sim, é isto.]

Boa Noite
"Voltemos ao início: a linguagem molda o pensamento. Molda?
Haverá diferenças de actuação entre quem diz "quero foder contigo" e quem diz "quero fazer sexo contigo"? Entre quem diz "fode-me agora, quero-te enterrado em mim" e quem diz "penetra-me agora, quero sentir-te"?
Quem é melhor a fazer minetes? Quem diz "quero chupar-te a cona toda" ou quem diz "quero lamber-lhe a vulva, Constança"?
Ou nada disso tem nada a ver, desde que se evitem extremos como "sim, fornica-me com o teu pirilau"?
Pilhado (será que posso dizer pilhado?) ao Menino :))

AHAHAHAHHAHAHA...
Prooooontoooo... isto já me fez rir aqui sozinha no escritório... já vou almoçar um bocadinho mais bem disposta... muito bom!! 
Este Menino é do melhor, a sério.... aquela última frase faz desmanchar qualquer um!!!!

04 dezembro 2013

"(...) O problema disto é que fico sozinho com os problemas, e muitos deles continuo sem os resolver, como os não resolvi antes.

Conheci muita gente, e nunca me abri com ninguém. Nunca contei a ninguém todas as minhas dúvidas, nem todos os meus medos, nem todos os meus anseios. Até de com quem partilhava a cama me escondia, nuns casos porque me viam de uma maneira que eu não queria estragar, noutros casos porque não me aceitariam falível e errado. Em caso nenhum funcionou, e provavelmente ninguém me amou realmente a mim porque eu nunca fui inteiramente eu. E provavelmente eu também nunca amei, pela mesma razão.

Mais do que o passar do tempo, é o passar das pessoas que nos muda. Não sei se alguém consegue evoluir sozinho, em plano algum. Talvez consigam, pessoas diferentes de mim, melhores que eu. A mim, é preciso quem me mostre um espelho, é preciso que alguém me diga onde estou mal para eu próprio o perceber. Nem sempre, mas frequentemente. Mas isso é mostrar-me fraco, é mostrar as falhas, é mostrar aquilo que eu nunca quis que ninguém visse.

Até um dia.
Não aconteceu de repente, não encontrei quem subitamente me levasse a mostrar todo. Os hábitos morrem devagar. Mas nunca lhe menti. Nunca me pintei melhor que o que era, nem pior. E devagar fui-me mostrando, cada vez mais todo, cada vez mais cheio de imperfeições. E ela não fugiu. Ficou ali, e segurou-me o espelho, e apontou-me as rachas, e não me indagou porque as tinha, apenas as mostrou, e falámos de como as devia reparar. As devíamos reparar, disse ela.
(...)

E quando finges, enquanto finges, enquanto nem tu estás do teu próprio lado, teres alguém que está do lado em que devias estar é a coisa mais importante que alguém pode alguma vez encontrar na vida.
(...)

Porque se me faltava perceber alguma coisa do que é afinal o amor, percebi hoje.
É a tua dor doer-me mais que a minha. É abrir-se-me o ventre por te a causar.
E o único bálsamo possível seres tu."


Muito do texto está aqui reproduzido, mas não deixem de ler o post completo do Menino, que vale a pena. Aqui está o que mais me falou, mais me marcou; por muitas razões que não interessam, mas principalmente porque acho que tem muitas verdades minhas. 
As últimas três linhas são uma delicia de doces, de enternecedoras, ainda que doa, porque só dói por se gostar tanto, e por todos os males e amarguras se curarem nesse doce, que é também o que mais nos pode amargar. É o fim e o início de todas as coisas que nos tocam. 

"E o único bálsamo possivel seres tu":  mesmo da dor que provocas; e não entender isto é não saber deste Amor "início e fim", que me acaba e me recomeça a cada vez.

Boa Noite 
...este vestido é mesmo bom para fazer assim....

[coisas que nos lembramos sem querer, e que não queremos crer onde, 
depois, as vimos repetidas - na mesma forma, na mesma substância -,
 noutras vidas, mas nas mesmas mãos. 
E sem querer, essas lembranças, não nos deixarem crer em mais nada. 
Há mãos para as quais todos os decotes servem, todas as peles são iguais... para fazer assim...]

01 dezembro 2013

"... os corpos quentes
brilham juntos na escuridão,
e a mão move-se
para o centro da carne,
a pele treme de felicidade
e a alma assoma
alegre nos olhos(...)"

allen ginsberg, «uivo e outros poemas»

Boa Noite

28 novembro 2013

27 novembro 2013

[foto de: Kerstin Joesson]

Não vejo nadita!!
...Mas ao menos tenho os miolos quentes!!
eehhehehehhe
Que belo penteado!! Eu acordo, mais ou menos, assim de manhã... 
mas com menos cabelo... aliás estou quase careca!!! 
...mas ainda uma despenteada mental... uma tristeza!!
Bom Dia!!

21 novembro 2013


Era engraçado porque,
toda vez que ela
me fazia sorrir ou rir,
eu sentia uma vontade
incontrolável de explicar
pra ela o quanto eu a amava.

Caio Fernando Abreu

[...incontrolável, não, graças a deus...
...e gostava quando ouvia a meio duma conversa parva um "adoro-te" saído de jacto na pressão da vontade, ou um beijo bem assente de repente para calar as tontices e intercalar as gargalhadas... é bom sentir isso.]

Boa Noite
ehehehheheh
Um dia .... vai haver fogo de artifício!!
Bom Dia!!

Lembro-me de me dizeres que me amaste, ao longo do tempo, de muitas maneiras diferentes. Ponho-me a pensar que então nunca me amaste da maneira certa: da maneira certa para ti, que tornasse tudo certo. Nunca me amaste escolhendo amar-me, então foram todas maneiras erradas de amar, e até de não amar. Talvez de certa maneira me tenhas amado: não da maneira certa: certo de que me amavas. 
Eu sempre estive certa: amo duma única maneira: amando, mesmo quando quero escolher não te amar.
Errado é eu estar tão certa.

Boa Noite

19 novembro 2013

É isto. Só, e tudo, isto.
Boa Noite

...pois!!
bem precisava...
mas com menos malas!!

... ontem estava frio, muito frio, e vai daí eu resolvi acender a lareira pela primeira vez este ano...
e lá fui eu, de mini-saia, botas de salto alto e lanterna na mão, à lenha... um mimo!!
Ora então, quando estou a pôr a lenha no cesto para levar para casa lembro-me duma amiga que refila como marido porque - vejam lá bem isto!! - ele traz a lenha suja para casa!!!! Por muito que eu lhe tente fazer ver que ter um mocinho que até traz a lenha para casa, e acende a lareira, é uma benção e um miminho bom... nada!!! É irredutível, aquilo só traz lixo e bicharocos para casa!!!... Inadmissível,deviam sacudir a lenha antes de entrar!!!...ehehehhe (é certo que ela reconhece que é um exagero, mas ainda assim refila...mulheres) ora vai daí, eu lembrei-me disto e comecei a rir-me sozinha, porque a lenha estava cheia de teias de aranha e afins... pega no telemóvel e mando a seguinte sms: "lembrei-me de ti, fui à lenha e está cheia de teias de aranha... achas que aspire???" ahahahhaha e por causa desta brincadeira toda, hoje a B manda-me este mocinho lenhador - com ar de quem racha lenha muito bem, e depois a transporta cheio de carinho para nos aquecer...- e diz-me que já resolveu o meu problema!! Espero que sim... que não se tenha enganado e dado a morada dela em vez da minha...
ehehehhehe
Bom Dia!!

18 novembro 2013


"(...) Por isso realmente não sei se consigo dar a volta, porque cada vez que o tento ou me aproximo levo com isto ou outra treta do género pelas trombas.

Beijo para ti entregue por aqui já que parece que pelo meio normal está cada vez mais difícil de acontecer e com muita pena minha acredita."
16/12/2012

...acredito sim senhor!! Realmente acredito mais nisso que noutras coisas que gostaria de acreditar... Foi esta frase, ou a ideia desta frase, que me veio à cabeça enquanto tentava que a água me lavasse dos pesadelos da manhã... quando finalmente consegui dormir, depois de acordar sem razão aparente, e sem razão alguma não conseguir dormir... antes não tivesse conseguido. Os pesadelos que se seguiram deixaram-me exausta, sem forças, descorçoada de todo... e depois, depois, no banho isto, lembrar-me desta frase, da grande pena de ser cada vez mais difícil entregar o beijo - tão desejado, tão querido, tão cheio de vontade- pelas vias normais... e depois ver a data disto, e o tempo que passou, e o tanto que falta para tudo isto passar, para me passar... e dou por mim a prender-me naquele penúltimo parágrafo... cada vez que tento dar a volta, levo com qualquer coisa pelas trombinhas abaixo... como ir à procura precisamente desta frase, esta frase que me assaltou a alma enquanto a água me escorria pela pele, e dar-me de caras, outra vez, com isto, com mais isto:  

"(...)mas preferia um beijo bem assente e agarrares-me com força, Preferia um olhar em que te conseguisse ver a alma, preferia um olá terno, preferia poder chegar ao pé de ti e aconchegar-te em mim e beijar-te os olhos e a testa com todo o mimo e ternura que tenho por ti, mostrar-ta e sentir que era isso que tu querias. O tempo que tenho à frente já é curto e acho que se não for agora já não será mais. Não quero perder os últimos anos da minha vida enquanto vida nesta amargura que tem sido os últimos anos, sempre a perder-te(...) Adoro-te, sempre te adorei , foste e és a mulher da minha vida e, não posso viver mais assim,(...). Do não saber de ti. Não sei o que fazer."

Há coisas que conseguem ser mais pesadelos que os já pesados pesadelos que me assolam as noites seguidas de insónia... há coisas que vão para lá de tudo o que pensei, do que pensei poder sentir, há coisas que me pergunto... e continuarei a perguntar, sem ter resposta. Sem sentir a resposta. E banhos que me sujam a alma sem aviso. Como hoje.

Bom Dia... 


14 novembro 2013



"O preço de qualquer coisa é a quantidade de vida que você troca por isso".

Henry David Thoreau

[quanta vida se está disposto a trocar pela paz? pelo Amor? pelo respeito, pela harmonia?
tudo se pesa, mesmo que não se dê conta.
 todas as decisões, por pequenas que sejam ou pareçam, têm um custo, 
e esse custo é sempre de vida. oportunidade de vida.
 em cada sim há um não que o contrabalança. 
em cada não há um sim de que prescindimos.]

13 novembro 2013



O Homem acredita mais com os olhos do que com os ouvidos. 
Por isso longo é o caminho através de regras e normas,

curto e eficaz através do exemplo. 


Séneca

[há homens peludos, mas a foto não é uma provocação... 
é só porque era uma ternura, e está a tapar os olhos... a antítese do escrito... 
ou então é um céptico, não quer acreditar em nada!!.... eheheh]


eheheheh...
pois, tudo bem explicadinho!!, não há cá "nims",
 ou dizer só penso muito em ti... ou penso sempre em ti.... 
há que especificar horários!!... e os sins têm de ser directos e os nãos inteirinhos!!!
Vamos lá a ver!!!!.... hum.
Bom Dia!!


"...Por isso fecho os olhos
E convido a noite para a minha cama
...E sob a forma desejada
A noite deita-se comigo
E é a tua ausência
Nua nos meus braços"

Alexandre O´Neill


Boa Noite