Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

13 setembro 2013


e tu sussurras:
- não, não afastes a boca da minha orelha.
derrama dentro dela aquilo que não consegues dizer em voz alta.

e eu digo:
- as tuas mãos queimam-me a fala.

tu sorris, dizes:
- vem, sem medo, pela aridez do meu corpo.

no fundo de mim existe um poço onde guardo a tua imagem. é tempo de ta devolver. é tempo de te reconheceres nela.

Al Berto


[é tempo... é tempo de ser tempo.]
Boa Noite

4 comentários:

Anónimo disse...

Boa noite ev@

Eva disse...

Bom di@

Anónimo disse...

reconheci-me assim que nos senti
reconheço-me ainda e sempre

nessa alma que tua é minha
que me devasta de sentido e sentidos
e
que só ela fala a mesma língua que esta inquieta alma fal@.

Eva disse...

.......
Dizer que é lindo é pouco, dizer que é teu é suficiente. É-me suficiente por definição, és-me mais do que suficiente.
...fiquei sem palavras.
A mim que nunca me faltam palavras ou argumentos, muitas vezes me derruba assim, sem aviso, de ternura que não sei não sentir.
Muitas vezes dou comigo a pensar que o meu problema é esse: reconheço-me em ti, sou melhor em nós.