Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

14 fevereiro 2014


"Houve um ano em que entendi o que é olhares para alguém todos os dias e pensares “eu era capaz de olhar para estes olhos todos os dias da minha vida”. E, ao pensá-lo, isso te preencher de tal forma que a única coisa que te importa é fazer por isso,(...)"

Escrito pelo Menino (bem sei que ando a abusar, sempre a roubar o moço, mas que fazer, quem o manda escrever estas coisas?) e a lembrar-me - a sentir, a reviver - que já me disseram exactamente isto, mas nunca fizeram isso... 
...por isso...
...Só me ocorre dizer asneiras... porra!! $%&@#?&%@#$
...ahhhhh... e mais uma coisinha: QUEM RAIO ANDAR A EMBEBEDAR O MEU CUPIDO HÁ ANOS PARE COM ESSA MERDA SEFAXAVOR!!!, DESINTOXIQUEM O GAJO À FORÇA , AFINEM-LHE A PONTARIA E DÊEM-LHE UNS ÓCULOS, QUE EU 'TOU FARTA DESTA MERDA, SIM??
Agradecida. 
Fico à espera. Sentada para não me cansar, já sei... bahhhhhh

4 comentários:

Menino De Sua Mãe disse...

Abusas nada, tu traz coisas, é para isso que elas servem, que bem fazem as palavras se não chegarem onde devem?

Eva disse...

Pois, verdade... mas convém que aqui o tasco não se torne uma sucursal tua... é pilhagem a mais!!
(vá lá que não te chateias, menos mal)
;))

Menino De Sua Mãe disse...

Escreves demasiado bem para que esse risco se corra.

E não, não me chateio, então quem escreve não escreve para ser lido, para ser citado? :)

Eva disse...

Bom, sim, escreve-se sempre para alguém ler...quanto ao ser citado, isso é mais complicado, ele há cada citação em cada boca que dá medo... chega a ser perigoso.
;)

(e obrigada pela simpatia da primeira frase, mas a única coisa que eu acho que faço mesmo bem é sentir, pena que não seja mais vezes sentir-me bem...)