Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

16 março 2015

(foto @ryanmuirhead)

"Amuralhar o próprio sofrimento 
é arriscar que ele te devore desde o interior.”
Frida Kahlo.

[as muralhas levantam-se para nos proteger. Protegem. Talvez.
Protegem-nos do bem entrar e do mal sair. Também.]

Boa Noite

10 comentários:

eusouassim disse...

Olha que a Frida tem razão...cuidado com as muralhas!

Beijos

Eva disse...

Olha, Muralhas bem fresquinha no verão eu gosto. Só acho que para os tempos que correm, para mim, só uma já é pouco... Precisava de me enfrascar alegremente é fortemente...

eusouassim disse...

Eu sou homem de muito tinto. Mas um muralhas fresquinho é excelente! Já não te convido outra vez :-P

Beijos

Eva disse...

Pronto, estamos então combinados e resolvidos quanto a isso... Mas para beber um Muralhas fresquinho bebo bem sozinha na minha esplanada privativa numa tarde solarenga a acompanhar uma boa leitura :) não estava a pensar em convites.

eusouassim disse...

:-)
Eu também não digo que estavas a pensar nisso. Mas é tão bom poder beber com companhia, um bom vinho e uma boa conversa são uma combinação perfeita!

Beijos

Eva disse...

São pois são, tens razão. Mas há coisas que são boas também sem companhia, tendo a vantagem de depois não ter de lidar com o perder a companhia.
Bom dia

eusouassim disse...

Eu falo também da companhia de um amigo...e de um amigo é muito mais fácil de manter, sendo um amigo verdadeiro!

Eva disse...

As coisas verdadeiras parece-me que estão muito fora de moda... E os amigos também têm lá a sua vida, e as vezes o melhor é contarmos só com a nossa companhia, ou eu estou assim, nessa fase.

eusouassim disse...

Estão casados, com filhos, com empregos, com vidas familiares muito ocupadas e sem tempo para nós...

Também sei o que isso é! :-P

Eva disse...

Pois, é isso... Ainda é assim é bom saber que estão lá se precisarmos, e ligarem e quererem saber de nós quando nos sabem tão pouco bem. Quando são mesmo amigos e se preocupam, arranjam tempo. E é bom saber isso.