Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

02 dezembro 2015

ahahahahha...
Já sabes, tudo passa, então aproveita e passa lá em casa (com tudo), mas não te passes, sim??
ahahahh
...juro que não ia pôr nada disto, mas cruzei-me com esta pérola e ri-me,
encantou-me digamos - como dizia a minha pequenitates no outro dia quando viu um mocinho fazer "um cavalinho" numa mota tipo aspirador mas com menos velocidades: "mamã... olha!!!.... ele fez aquilo para te encantar!...." ahahah o que eu me ri também, balha-me-deus!!, mas pronto só para dizer que me encantou, fez-me rir, e que os dias andam corridos e cheios e bons, até. 
Finalmente há coisas que começo a ver mexer e a saírem-me das mãos, ou pelo menos a ver-se a possibilidade de haver resultados, coisas boas que me saíram da cabeça e do esforço de as querer - aqui sim, lutar por elas - coisas que se fazem, que se argumentam, que se trabalham, de que convencemos os outros e os trazemos para o nosso lado (às vezes porque temos mau feitio; curiosamente há quem goste disso, há quem veja nisso autenticidade, espontaneidade e uma cabeça por onde se pensa, onde não se diz sempre "sim senhor" e o considerem uma qualidade). E tem sido bom. Às vezes cruzamo-nos com pessoas que também têm ideias e ideais e querem as coisas feitas e contribuir para isso (e até têm mau feitio também, dão murros na mesa e quando é preciso chamam os bois pelos nomes). Às vezes cruzamo-nos com boas pessoas (ou que até ver assim parecem). E isso é bom, é uma esperança, em tanta coisa, mas talvez essencialmente na humanidade e na recompensa do esforço. 

Bom Dia.

2 comentários:

O Grunho disse...

Simplicidade. É o que se quer, menina. Gostei de a ler, obrigado.

Eva disse...

:) obrigada.