Eva me chamaste

Fizeste das minhas costas o teu piano

Dos teus desenhos as minhas curvas

Da minha boca a tua maçã

Dos meus olhos o teu mar

Do meu mundo os teus braços


(...)

15 setembro 2014


“Estou perdido; e já não sei o que querias para mim com isto; se querias mostrar-me o que tinha de fazer ou se querias mostrar-me o que não tinha de fazer; se querias mostrar-me o amor conseguiste; agora sei o que é o amor; sei que é esta coisa que não sei dizer; este aperto que não consigo desapertar; esta precisão que não consigo saciar; esta saudade maior do que nunca tive; este abraço maior do que todos os que apertei; se querias mostrar-me o que era o amor conseguiste.”

"In Sexus Veritas", de Pedro Chagas Freitas

[...e agora faz-se o quê com isto?
...asas que não voam
beijos que não se beijam
sonhos de que não se acorda
dias que não se vivem
morte que não nos mata.]


3 comentários:

Anónimo disse...

Pergunta difícil esta

Eva disse...

dificil é a resposta.
a pergunta é natural.

Anónimo disse...

Tambem